Me apresentando e mostrando meu manjaro a categoria Português

Olá a todos,

Meu chamo Paulo, porém todos me chamam no mundo virtual de Creto.

Até ai tudo bem não é mesmo? Mas uso o manjaro KDE em uma máquina que vamos chamar de “obsoleta” mas roda bem por eu estar familiarizado com o manjaro Linux desde sua primeira versão lá de 2011. Fiz minhas alterações para que ele possa rodar nessa máquina e mais uma vez, depois de alguns anos afastado do mundo da tecnologia, só percebo o quanto o manjaro Linux evoluiu.

Minha máquina:

[creto@creto ~]$ inxi -SMCm
System: Host: creto Kernel: 5.10.23-1-MANJARO x86_64 bits: 64 Desktop: KDE Plasma 5.21.3
Distro: Manjaro Linux
Machine: Type: Laptop System: Positivo Informatica SA product: C14RV01 v: 1.00.05_SIM
serial:
Mobo: Positivo Informatica SA model: C14RV01 v: SIM serial:
BIOS: American Megatrends v: 1.00.05 date: 10/03/2012
Memory: RAM: total: 3.74 GiB used: 1.44 GiB (38.4%)
RAM Report: permissions: Unable to run dmidecode. Root privileges required.
CPU: Info: Dual Core model: AMD C-60 APU with Radeon HD Graphics bits: 64 type: MCP cache:
L2: 512 KiB
Speed: 799 MHz min/max: 800/1000 MHz Core speeds (MHz): 1: 799 2: 1037
[creto@creto ~]$

Como pode ser visto um KDE que podemos dizer inacreditavelmente roda em uma máquina como essa não?

Feita as apresentação, qualquer coisa estamos ai.

Saudações livres,
Paulo Creto

T+ = So long

1 Like

Que surpresa!

Realmente, são visíveis as piadas sobre a Positivo… Inacreditável ver como Manjaro KDE consegue ser assim… rápido. Uso permanentemente desde janeiro, mas venho tentando usar uma distro a anos, prisioneiro de um sistema muito bem conhecido. Agora me encontro no Manjaro KDE também e não pretendo mudar tão cedo.

Obrigado por compartilhar conosco essa experiência!

1 Like

Como pode ser notado caro @inky1003 o PC já tem 10 anos ou mais, quando a maioria poderia dizer: “O Creto é louco por usar uma distro tão atual como é o Manjaro Linux e ainda mais louco por usar KDE”

Sim, pode ser, sobre o manjaro uso ele desde sua primeira versão a 0.8.xx alguma coisa que nem lembro mais, isso ainda quando o fórum manjaro Brasil era bem movimentado, mas enfim, o manjaro sempre foi uma distro muito boa e interessante.

Sobre o KDE é a outra velha paixão desde o KDE3, uso outro ambiente gráfico (LXQt) como válvula de escape quando a tarefa é mais pesada para esse pobre notebook Positivo.

T+ = So long

Ainda não tenho tanta experiência quanto você, mas espero que consiga ter histórias para contar, além da história de minha incansável tentativa de migração para o Linux, provavelmente conquistada agora.

A história

Antes eu possuia uma placa de wifi Netgear WNDA3100v2 que não me permitia ter uma internet, mesmo com o ndiswrapper. Minha primeira tentativa de vir ao Linux foi por água abaixo assim. Voltei para o Windows logo em seguida.

Então eu consegui uma dongle de Wifi que funcionava no Linux e tentei Manjaro, Ubuntu, OpenSUSE, a qual não gostei muito pela falta de pacotes, (sempre voltando para Windows entre uma distro e outra, porque desistia muito fácil, os problemas eram muitos, além desta dongle de Wifi ser de 2.4GHz) e agora, depois de conseguir uma placa de Wifi mesquinha de 5GHz voltei para o Manjaro, sistema que bem me supre as necessidades rotineiras. Logo percebi que esta placa era ruim também e cabeei minha conexão depois de 7 anos tentando usar um wifi com apenas uma parede não tão pesada entre o roteador e meu computador.

Nesses meios tempos, tentei procurar por alternativas dos meus dispositivos para hardwares que funcionassem no Linux, e fui conquistando. :slight_smile:

Além disso, a Internet parecia ser sempre mais estável no Linux do que no Windows.

Resumo: o meu maior problema não foi uma distro (exceto pela OpenSUSE). O meu problema mais irritante foi internet decente.

Já abaixo eu falo sobre DEs (KDE, GNOME, MATE, Cinnamon…)

Minha visão sobre DEs

Sobre DEs, eu sou meio cego para falar a verdade, confesso. Apesar dos problemas estruturais que o KDE tem, eu gosto. É uma das únicas DEs que me permite ter um tema de Aero Glass (Windows 7) decente, design este que me atrai muito, e que é muito difícil de encontrar nas DEs para Linux.

Já testei GNOME, Cinnamon e XFCE, sendo uma das piores experiências o GNOME, e aparentemente consigo me adaptar bem às DEs com uma área de trabalho parecida com a do Windows. Porém interfaces com propostas diferentes não são tão fáceis assim de se adaptar e como eu uso rotineiramente eu acabo me perdendo. Com tema de Windows, fica melhor ainda, porque você assim eu, pelo menos, não me sinto num planeta extraterrestre tentando entender o que tudo significa.

Resumo: KDE, meu bem querer e Windows 7, saudades. Descanse em paz e obrigado pelo eterno legado do Aero Glass.